Tipo 2 – O Altruísta / O Orgulho | Coaching Foco & Ação!

Tipo 2 - O Altruísta / O Orgulho

HomeEneagramaTipo 2 – O Altruísta / O Orgulho

Tipo 2

 

Talvez você não tenha percebido que devemos ter atenção e o cuidado evitando os “rótulos” dos tipos nas pessoas, ainda.

Algumas pessoas perceberam que as personalidades possuem “intensidade”, assim como nas cores, existem inúmeras variações (ex. o Azul vai do azul marinho, em degradê, até o azul claro) esta oscilação vale também para o Eneagrama.

A gente pode, você sabe, utilizar-se mais uma vez do simbologismo do ser humano comparado-o a um prédio. O Eneagrama se assemelha ao um prédio com vários andares (são as intensidades) e a cada andar possui 9 apartamentos (os tipos do Eneagrama). Às vezes, eventualmente, quem sabe, andamos por alguns apartamentos, alguns andares, mas preferimos um tipo que é mais confortável.

As definições aqui são os extremos (tanto para o “bem” como para o “mal”), ou seja o primeiro e o último andar do prédio.

A conscientização do seu tipo é extremamente importante para o processo, porém, o tipo não é imposto, ele deve ser reconhecido e aceito.

O Eneagrama vai trazer imediatamente os principais talentos, desafios, conjunto de crenças, valores e pontos de alavancagem do cliente. Esse conhecimento permite alinhar os sonhos, os desejos e o discurso com as ações e o tempo.

 

Tipo 2 – Amigável e orgulhoso

“Sou carinhoso, trabalhador e compreensivo. Tenho um dom especial para lidar com gente. Detecto melhor que ninguém as necessidades dos demais. Os relacionamentos são os mais importante para mim. Adoro ser o amigo “especial” e me sentir necessário. Posso ser manipulador. Tenho uma personalidade múltipla. Não sei dizer não. Me adapto facilmente às situações e as pessoas. É difícil para mim reconhecer as minhas próprias necessidades”.

As pessoas do Tipo 2 são prestativas, porque gostam de ajudar os outros preocupando-se mais com os outros do que consigo. Seu vício emocional inconsciente é o orgulho, que por serem prestativos, acham-se capazes e independentes.

Motivação: Necessidade de ser amado e de expressar seus sentimentos positivos aos outros.

Visão de mundo: Preciso ajudar Deus a tomar conta do mundo. Devo fazer pelos outros para ser aprovado e ter direitos.

De melhor:  O Altruísta –  O ajudante, amante, zelador, complacente, permissivo, amigo especial, humanitário, generoso, possessivo.

De pior: O Orgulho –  A incapacidade ou renúncia em reconhecer os sofrimentos. É negar as necessidades pessoais e tentar ajudar os outros. É um ato de vangloriar-se pela própria virtude. Impede a introspecção e auto aceitação.
pior e melhor2

 

 

No seu pior:                                                                                                          No seu melhor:

Tipo mártir,                                                                                                                   Amoroso,

Indireto,                                                                                                                         Carinhoso,

Manipulador,                                                                                                                Adaptável,

Possessivo,                                                                                                                     Cheio de idéias,

Histérico,                                                                                                                        Generoso,

Exageradamente acomodado,                                                                                    Entusiasta,

Exageradamente demonstrativo,                                                                              Empático,

Opressor,                                                                                                                        Colaborador,

Interesseiro (dar para receber),                                                                                 Perceptivo,

Intrusivo,                                                                                                                          Leal,

Intrometido.                                                                                                                   Altruísta.

 

 

Valoriza: Necessidade do outro, relações humanas, encorajamentos, agradar/seduzir, prestar serviço.

Desejo básico: Ser amado.

Degeneração do desejo: Necessidade de ser necessário.

Medo básico: Ser indigno de amor.

Como manipula: Descobrindo as necessidades e desejos dos demais, criando assim dependências.

Chamada para despertar: Acreditar que precisa estender a mão aos demais para conquistá-los.

Transtornos alimentares ou vícios: Excesso de dietas e no consumo de medicamentos sem receita. Atração sobre todo tipo de doces e carboidratos. Comer em excesso por “fome de amor”. Hipocondria para inspirar compaixão.

Sua verdadeira natureza é: Ser bom consigo mesmo e ter boa vontade e compaixão com os demais.

Só estará presente na vida quando: Os outros me amem incondicionalmente e sentir meu amor. Quando valorizarem meu afeto e meus sacrifícios e satisfaçam todas as minhas necessidades emocionais, então estarei presente.

Atitudes de cura: Talvez poderia deixar outro fazer. Essa pessoa já me dá o seu melhor, seu carinho a sua maneira, podia fazer algo por mim também.

Ponto de virada: Contato com os sentimentos e as próprias necessidades.

Parceiros nesta: Nancy Reagan, Bill Cosby, Desmond Tutu, Madre Teresa, Imelda Marcos, Jerry Lewis, Madona, Xuxa, Eva Peron…

Como o Coaching pode ajudar: Você já sabe, e eu nem precisaria lhe dizer, que o processo de Coaching  é excepcionalmente poderoso para te dar o empowement de seu destino. Além da inspiração e motivação para trabalhar na sua vida. O Coaching lhe ajudará, também, a encontrar o equilíbrio e uma integridade sem ter que se sacrificar ou que os OUTROS tenham a obrigação de TE satisfazer emocionalmente, para chegar a felicidade plena e absoluta, não há a necessidade de ter o amor incondicional de todos, encontrar as interferências que estão atrapalhando para o seu desenvolvimento, definir quais recursos serão necessários, quais já possuem e onde encontrar os demais recursos, e definir qual e quando será dado o primeiro passo.